Fecomércio-MT ajuda a divulgar medidas de estímulo à economia

Data: 27/04/2020 Fecomércio-MT ajuda a divulgar medidas de estímulo à economia

As medidas do governo federal para amenizar os efeitos do novo coronavírus (Covid-19) na saúde e economia do país, segundo Nota Informativa do Ministério da Economia, utilizando como proporção do PIB, é bem superior ao dos demais países emergentes e maior que à média das tomadas pelos países desenvolvidos.

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, explica que são medidas válidas e as instituições financeiras estão fazendo ajustes para a sobrevivência das empresas. “São pacotes de medidas que levam um pouco de esperança à classe empresarial. Ficar mais de 30 dias de portas fechadas sem poder vender seu produto ou serviço pode significar a falência de muitas lojas”.

O sistema financeiro, como bancos públicos e privados, e entidades do próprio governo prorrogaram o pagamento de dívidas e aumentaram o crédito para segurar a economia. Todos os setores produtivos, em especial microempreendedores individuais, micro e pequenos negócios, tiveram algum apoio durante a pandemia de Covid-19.

Os principais bancos do país (Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander), através de sites, estão oferecendo condições tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. O Sebrae também preparou uma Coletânea das principais linhas de crédito anunciadas pelas Instituições Financeiras e que será atualizada semanalmente.

Para reduzir o impacto econômico em Mato Grosso, o Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso (Desenvolve MT), também disponibilizou linhas de crédito emergencial que atenda os microempreendedores individuais, microempresas e, inclusive, empreendedores do trade turístico (hotéis, pousadas, bares, restaurantes e similares).

Através da Capital de Giro Emergencial e Fungetur Giro, ambas com taxa de juros reduzida, o empresário tem acesso ao crédito de R$ 10 mil (Capital de Giro Emergencial) até R$ 100 mil (Fungetur Giro), com prazos de carência de 12 meses. Para este último, o empresário deve ter o selo do Cadastur (Cadastro Prestadores de Serviços Turísticos).